NOSSA CAUSA

E_SDG_Icons_NoText-10.png
E_SDG_Icons_NoText-16.png

A principal motivação para o trabalho do Instituto Floriano Peçanha dos Santos é acreditar que atuar na promoção dos direitos de crianças e adolescentes, através do desenvolvimento de ações socioeducativas e culturais, viabiliza ao nosso público, na sua maioria em situação de risco e vulnerabilidade social, condições de desenvolvimento integral, contribuindo para a construção de uma cultura de paz e não violência.

mão_ifps.png
 

Cultura de paz

mãos.png

O estabelecimento de uma cultura de paz e o desenvolvimento sustentável.

A pobreza, a desigualdade e a injustiça social se refletem na contínua violação dos direitos da criança, incluindo o direito à vida e à segurança e afeta a aprendizagem de jovens.

 

O IFPS trabalha a Cultura de paz a medida em que visa à promoção da equidade e da melhoria das condições e dos modos de viver, ampliando a potencialidade individual e coletiva e reduzindo vulnerabilidades e riscos decorrentes dos determinantes sociais, econômicos, políticos, culturais e ambientais. 

Um outro passo é tentar erradicar a pobreza e reduzir as desigualdades, lutando para atingir um desenvolvimento sustentado e o respeito pelos direitos humanos, reforçando as instituições democráticas, promovendo a liberdade de expressão, preservando a diversidade cultural e o ambiente.

 

Crianças e adolescentes

A violência na infância pode gerar adultos agressivos. Contra a criança a violência pode ser física; psicológica; sexual e a negligência.

O IFPS trabalha e acredita que todas as crianças e adolescentes têm o direito de proteção contra qualquer tipo de violência, seja aquela que acontece no ambiente familiar, na comunidade, em consequência de conflitos armados ou de violência urbana.

Crianças são mais suscetíveis a sofrerem transtornos pós-traumáticos capazes de afetar seu desenvolvimento e potencial de aprendizado, bem como gerar dificuldades para a construção de relações sociais e afetivas. Para isso é necessário investimentos na juventude, por meio de políticas focalizadas nos territórios mais vulneráveis socioeconomicamente, de modo a garantir condições de desenvolvimento infanto-juvenil, acesso à educação, cultura e esportes.

Uma criança ou adolescente com idade até 19 anos morre vítima de violência a cada sete minutos em algum lugar do mundo, segundo relatório divulgado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância)

Crianças_em_roda.png

Vulnerabilidade Social

 
Favela desenhada .png

A vulnerabilidade é composta por diversos fatores responsáveis pela “exclusão social” de uma parcela da população. Entre eles, podemos incluir questões históricas, de raça, de gênero e de orientação sexual.

Questões como essas fazem com que diversos cidadãos sofram com a falta de representatividade e de oportunidades. Com isso, se encontram em uma situação de desequilíbrio, pois não têm o mesmo acesso a oportunidades que outros grupos sociais.

Do início dos anos 2000 até 2014, o Brasil reduziu drasticamente sua taxa de pobreza. Porém, por conta da crise econômica que rondou o país, o crescimento estagnou e o índice de vulnerabilidade social voltou a crescer.

Os números são da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e mostram que 23,3 milhões de pessoas entraram para a estatística no período entre 2014 e 2017. O estudo ainda indica que, com o lento crescimento econômico atual, o Brasil só voltará a atingir seu melhor índice em 2030.

 

A Cultura

A cultura é um caminho viável – e comprovado – para a ascensão social. Além disso, mesmo que o indivíduo não se torne um artista famoso, ele irá aprender, desde cedo, valores importantes para a convivência em sociedade.

Não é de hoje que sabemos a importância da expressão cultural para a afirmação e identidade dos povos e regiões ao redor do planeta. Mas, agora, as discussões em torno de cultura e desenvolvimento vêm ganhando novos ares, e ela aparece como um dos pilares da sustentabilidade, ao lado das dimensões econômica, social e ambiental. (Unesco)

Sendo assim, o investimento ajuda a reduzir os índices de vulnerabilidade do País. Isso porque cria uma nova perspectiva para os jovens, fazendo com que busquem caminhos diferentes do que os que estão acostumados a ter acesso.

Políticas de acesso à cultura, produção cultural, bibliotecas, espaços públicos de lazer são fundamentais para a criação e valorização de identidades, além de oferecerem diversão, reflexão e atuação social e tem efeitos positivos por toda a vida e pode ser ainda mais significativo para as crianças que vivem em condições adversas de pobreza e em contextos de vulnerabilidade social.

ESPAÇO_DA_DIVERSIDADE_CULTURAL_enviar.p

Nosso trabalho visa interromper esse ciclo de violência dando oportunidade para que crianças e adolescentes possam colocar suas ideias, descobrir novos caminhos, terem oportunidades de convívio estável e de desenvolvimento do pensamento crítico e da resiliência, que serão fundamentais para formação da cidadania.

*Dados retirados do Atlas da Violência 2016 e 2018, estudos desenvolvidos pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FPSP).

 

Principais ODS* de atuação

ods16.png
ods10.png

*Objetivos de desenvolvimento sustentável: Os 193 países-membros das Nações Unidas adotaram oficialmente a nova agenda de desenvolvimento sustentável, intitulada “Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, na Cúpula de Desenvolvimento Sustentável, realizada na sede da ONU em Nova York, em setembro de 2015. Essa agenda contém 17 Objetivos e 169 metas. Caso queira conhecer mais/melhor, existe uma cartilha simples com maiores explicações, disponível aqui: Cartilha ODS